Select Menu

TRADUZIR ESTE SITE

Web Rádio Gospel Adoração

» » Cunha considera renunciar à presidência para diminuir pressão do Judiciário
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

BRASÍLIA - Aliados de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) dizem que ele já não está mais tão irredutível como antes em relação à possibilidade de renunciar à presidência da Câmara. Segundo deputados próximos ao peemedebista, o parlamentar fluminense não descarta que poderá abdicar ao comando da Casa, principalmente como uma estratégia para tentar diminuir a pressão do Poder Judiciário contra ele.
Aliados lembram que, desde a semana passada - quando o Conselho de Ética adiou para esta terça-feira, 14, a votação do parecer pela a cassação, por medo de derrota -, a Justiça comum, a Procuradoria-Geral da República (PGR) e o Supremo Tribunal Federal (STF) passaram a divulgar todos os dias denúncias e fatos novos relacionados a processos contra Cunha e sua família. "Nos últimos dias, se estabeleceu um linchamento contra ele", afirma um aliado.Com a renúncia do comando da Câmara, membros da chamada "tropa de choque" de Cunha acreditam que o peemedebista sinalizaria que não vai mais interferir nos trabalhos da Casa, como acusa a PGR. Isso poderia ajudá-lo na defesa do pedido de prisão preventiva feito pela Procuradoria ao STF e que tem como base justamente a acusação de que, mesmo afastado, ele continua interferindo no comando da Câmara.Aliados do presidente afastado acreditam que, com essa sinalização, o Judiciário poderá arrefecer a pressão contra Cunha e seus familiares. Com isso, o peemedebista teria um terreno "mais tranquilo" para se dedicar à sua defesa tanto na Justiça quanto na Câmara. "Ele pode acabar renunciando por necessidade para diminuir essa pressão", diz um aliado.
Oficialmente, o peemedebista nega por enquanto que pretende renunciar.A renúncia, porém, já não tem mais o mesmo potencial de ajudar Cunha a salvar o mandato no plenário. Amigos do parlamentar avaliam que, depois de o Conselho de Ética aprovar parecer pedindo sua cassação por 11 votos a 9, dificilmente deputados aceitarão alterar a cassação por uma pena mais branda no plenário, onde a votação será aberta e transmitida ao vivo em rede nacional de televisão.
Nessa estratégia para tentar diminuir a pressão do Judiciário, a defesa de Cunha também sinalizou que ele poderá vir a colaborar com a Justiça, por meio de uma delação premiada, como antecipou a Coluna do Estadão. Mas a hipótese foi negada por ele, sob o argumento que "não praticou crime nenhum e não tem o que delatar". 
Fonte: http://www.msn.com/pt-br/noticias/crise-politica/cunha-considera-renunciar-%C3%A0-presid%C3%AAncia-para-diminuir-press%C3%A3o-do-judici%C3%A1rio/ar-AAh5ENw

Autor CULTO ABENÇOADO NO SEU LAR LAR

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Você edita-lo, no html
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Publicidade

Família grande projeto de Deus

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
CULTO ABENÇOADO NO SEU LAR LAR
Visualizar meu perfil completo

Seguidores do site pelo Google+