Select Menu

OUÇA OS LOUVORES

TRADUZIR ESTE SITE

Cotação Bitcoin

Cotação Ouro

Cotação Euro

Cotação Dólar

» » Forças Armadas atuarão com efetivo 'acima da média' nas eleições
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Segundo levantamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), até agosto houve vinte homicídios de candidatos e pré-candidatos pelo país.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou nesta quinta-feira (29) que as Forças Armadas atuarão com efetivo "acima da média" nas eleições municipais de domingo (2), com pelo menos 25 mil homens em 408 cidades do país. 
O número, explica, é maior que a média histórica registrada pela Justiça Eleitoral, de cerca de 300 municípios a cada disputa.

"Há um crescimento sim [da demanda], porque a média histórica ficaria em torno de 300 ou 300 e poucos municípios e já estamos com 408, engajando 25 mil homens em 14 Estados. Esse número não é final, porque novos municípios devem ser apontados pela Justiça Eleitoral até o fim da semana", disse Jungmann após reunião com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto.
Apesar disso, o ministro afirma que os casos de violência nas campanhas eleitorais, que resultou no assassinato de um candidato a prefeito no interior de Goiás nesta quarta (28), são "questões policiais" e não são de responsabilidade da Defesa.
"A gente tem visto ações lamentáveis de violência cometidas, embora ressalvando que são questões de polícia. O papel que desempenhamos a pedido da Justiça Eleitoral é dar tranquilidade durante o processo de votação e apuração", disse o ministro. "[Os casos] Merecem uma reflexão, sem sombra de dúvidas, porque chamam a atenção e nos preocupam a todos", completou.
Segundo levantamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), até agosto houve vinte homicídios de candidatos e pré-candidatos pelo país. O número, porém, não leva em conta o ataque a tiros em uma carreata em Itumbiara (GO), que matou José Gomes da Rocha, o Zé Gomes, candidato do PTB à prefeitura da cidade, e feriu o vice-governador do Estado, José Eliton (PSDB).
Durante a reunião com Temer, Jungmann apresentou as atualizações do plano nacional de estratégia de defesa do país, que precisa ser atualizado a cada quatro anos. O último, de 2012, ainda era da gestão petista.
O ministro afirmou ainda que o presidente aprovou as modificações, entre elas a inclusão de um "posicionamento político na área da defesa", e que na próxima semana o plano será enviado ao Congresso.
Questionado sobre o que seria esse posicionamento político, Jungmann se limitou a dizer que a Defesa seguirá "parâmetros" de "democracia" e "transparência". 
Com informações da Folhapress.

Autor CULTO ABENÇOADO NO SEU LAR LAR

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Você edita-lo, no html
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Publicidade

Família grande projeto de Deus

Seguidores

Seguidores do site pelo Google+