Select Menu

OUÇA OS LOUVORES

TRADUZIR ESTE SITE

Cotação Bitcoin

Cotação Ouro

Cotação Euro

Cotação Dólar

» » Igrejas alemãs proíbem a evangelização de judeus
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Sínodo afirma que “a eleição da Igreja não tomou o lugar da eleição do povo de Israel”.


A Igreja Evangélica da Alemanha (EKD), denominação mais antiga e mais numerosa do país, representando quase um terço da população, anuncio que seus membros não devem mais tentar converter os judeus à fé cristã.
A EKD é uma federação, que reúne igrejas luteranas, reformadas e protestantes. Em um sínodo que durou quatro dias, foram debatidos várias questões, entre elas a evangelização.
Após décadas debatendo sobre a ética envolvida na tentativa de tentar converter o povo judeu após séculos de antissemitismo, o Sínodo decidiu que os cristãos “não são chamados a mostrar a Israel o caminho para Deus e sua salvação”.
Os delegados argumentaram que se baseiam na perspectiva teológica da “eleição permanente de Israel”. Ou seja, a convicção de que Deus fez primeiro uma aliança com o povo de Israel, e lida com eles de maneira diferente do que o faz com os cristãos.
O documento do Sínodo reafirma que “a eleição da Igreja não tomou o lugar da eleição do povo de Israel. Deus é fiel ao Seu povo. Quando nós, cristãos, aderimos à Nova Aliança, que Deus fez em Jesus Cristo, também nos apegamos ao fato de que a aliança de Deus com Seu povo Israel continua válida”.
Também foi levado em conta o argumento histórico de que a missão aos judeus ficou prejudicada após o Holocausto. Admitindo que havia “responsabilidade cristã” enquanto os nazistas assassinaram pelo menos seis milhões de judeus. Para a EKD, a negligência da igreja na época “têm consequências até hoje no testemunho cristão diante dos judeus”.
Essa resolução considera ser necessário levar em conta que alguns partidos políticos europeus estão divulgando o ressurgimento do antissemitismo na sociedade. No início do mês, o Arcebispo de Canterbury Justin Welby, maior autoridade da Igreja Anglicana mundial, afirmou que a igreja do Reino Unido deve admitir sua história de antissemitismo e tratar disso.
A questão é particularmente sensível na Alemanha pois se aproxima à data do 500º aniversário da Reforma Protestante, em 31 de outubro de 2017. A postura de Martinho Lutero era sabidamente antissemita. “Em seu livro ‘Os Judeus e Suas Mentiras’, ele chama os judeus de bestas venenosas, víboras, escória nojenta e demônios encarnados”, lembra o historiador Mark Woods.
Em sua resolução, a EKD assevera que já se distanciou dos insultos de Lutero contra os judeus e afirma que essa visão do judaísmo “é incompatível com o testemunho bíblico de Deus para Seu povo”. No ano passado, o Sínodo identificou a necessidade de novos passos de arrependimento e renovação, o que levou a examinar sua missão junto aos judeus.
O Sínodo se reunirá novamente dentro de três anos quando esta e outras questões serão reavaliadas e até mudadas, se for o caso.
Na internet, paradoxalmente, crescem campanhas de evangelização de judeus, como a I Met Messiah, que mostram como judeus praticantes reconheceram Jesus como seu messias.



Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br/igrejas-alemas-proibem-evangelizacao-judeus/

Autor CULTO ABENÇOADO NO SEU LAR LAR

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Você edita-lo, no html
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Publicidade

Família grande projeto de Deus

Seguidores

Seguidores do site pelo Google+