Louvores que Tocam

PUBLICIDADE

Entretenimentos-Notícias-Estudos Bíblicos-Teatros Infantil-Dinâmicas-Peças Gospel Infantil-Dicas de Informática-Mensagens: Dias dos pais - louvores e muito mais!

TRADUZIR ESTE SITE

Quando confiei em Deus, meu filho, que corria risco de morte, sobreviveu

sábado, 22 de junho de 2019

Na primavera de 2015, Wang Min deixou sua casa para realizar alguns afazeres do dia e retornou para encontrar seu filho Lilin sentado na cama, parecendo muito pálido. Ele estava segurando a barriga com as duas mãos e não parava de vomitar. 
Wang Min correu e perguntou: “Linlin, o que há de errado?” Linlin respondeu em voz baixa: “Mãe, meu estômago está doendo.” Wang Min esfregou a barriga dele e disse: “Você pegou um resfriado durante a noite ou comeu algo ruim?” Quando disse isso, ela olhou em uma gaveta e encontrou um remédio para o estômago e deu a Linlin.
 Ela pensou: meu filho de 25 anos não é assim tão delicado, portanto, ele vai melhorar rápido com o remédio. Inesperadamente, no entanto, a dor no estômago de Linlin não melhorou, mas ficou ainda pior. Ele estava com tanta dor que toda a sua cabeça estava coberta de suor, assim, Linlin continuava gritando: “Mãe, está doendo muito!” Wang Min logo chamou o médico da aldeia.
Quando o médico chegou, ele deu um remédio para Linlin e aplicou um medicamento intravenoso para tratar sua dor de estômago. Mas, à meia-noite, Linlin ainda vomitava, sofria de diarreia, e o suor da cabeça escorria pelas bochechas e pelas costas. Linlin ajoelhou-se em sua cama, vomitando continuamente, sentindo tanta dor a ponto de chorar alto. Ver seu filho assim deixou Wang Min muito ansiosa.
 Ela pensou: “Isso não é uma indisposição estomacal comum. Não seria uma gastrite aguda?” Vendo a condição de seu filho ficar cada vez mais séria, Wang Min correu para encontrar sua irmã mais velha e seu cunhado, e juntos levaram Linlin para o hospital o mais rápido que puderam.

Quando enfrenta dificuldades, a pessoa tem apenas um caminho para seguir, confiar em Deus

Quando chegaram ao hospital, já eram sete da manhã. Era um domingo e havia muitos pacientes no hospital, todos em fila esperando sua vez. 
Linlin estava agachado em um canto, vomitando sem parar, incapaz de falar. Vendo seu filho assim, Wang Min se sentiu muito angustiada, como se uma faca estivesse atravessando seu coração, por isso, esperava que a fila se movesse com rapidez para que seu filho pudesse ser examinado, mas quando ela viu a quantidade de pessoas que lá estavam, ela não conseguiu mais saber quando seriam atendidos. Wang Min estava muito ansiosa e não sabia o que fazer. 
Ela só pôde clamar a Deus em silêncio em seu coração: “Ó Deus, vendo meu filho com uma doença tão séria e com tanta dor, sinto tanta angústia e não sei o que fazer para que ele melhore. Eu também não sei quando seremos atendidos. Ó Deus, por favor, abra um caminho para mim!”
Nesse momento, alguém na multidão viu que Linlin estava muito doente e disse aos outros pacientes: “Não estamos tão doentes quanto esse jovem. Que ele seja examinado primeiro!” Quando todos ouviram isso, abriram caminho, e Wang Min passou dizendo: 
“Obrigada a todos!” Ela se sentiu incrivelmente comovida naquele momento, pois havia visto os feitos de Deus. Em seu coração, ela agradeceu a Deus e pensou em Suas palavras: “Não importa se você acredita nisso ou não, todas e cada uma das coisas, vivas ou mortas, vão se transformar, mudar, se renovar e desaparecer de acordo com os pensamentos de Deus. 
Tal é a maneira pela qual Deus preside sobre todas as coisas.” Sim, ela pensou: Todas as coisas são criadas por Deus e Ele as rege e as organiza. Essa cena que acabara de acontecer no hospital aparentava ser apenas resultado das boas intenções das pessoas, mas na verdade era a soberania e arranjos de Deus operando. Do fundo de seu coração, Wang Min agradeceu a Deus por abrir um caminho para ela!
Wang Min rapidamente pediu a seu cunhado para levar Linlin para a enfermaria. Depois que o médico examinou Linlin e fez alguns testes, ele disse, muito sério, a Wang Min: “Seu filho está muito doente. Ele tem pancreatite aguda.
 Há fluido acumulado em seu peito e abdômen, sua frequência cardíaca está muito mais alta que o normal e ele está correndo um grande risco de perder a vida. Ele deve ficar aqui sob observação. Além disso, você deve pensar em fazer preparativos.
 Vamos mantê-lo aqui em observação por 24 horas, e se sua condição melhorar nesse período, há esperança de que ele fique bom. Se não houver melhora, ele deve ser transferido para outro hospital. Com este tipo de doença, a necrose do pâncreas é altamente provável, e isso não é uma coisa fácil de tratar, não importa quanto dinheiro você gaste.” Ouvindo o médico dizer isso, Wang Min sentiu como se sua cabeça tivesse sido atingida por um marreta, e ela podia ouvir um zumbido constante em seus ouvidos. 
Suas lágrimas escorreram por suas bochechas, e ela disse para si mesma: “Como essa doença apareceu tão de repente em meu filho?” Naquele momento, ela pensou em como seu filho tinha acabado de completar 25 anos, sobre como ele viveu uma pobre vida de estudante por mais de 10 anos, até, enfim, encontrar um bom emprego. 
Os dias felizes tinham acabado de começar para ele. Agora ele, de repente, havia contraído uma doença muito séria, e, se algo de ruim acontecesse com ele, o que ela faria? Naquele instante, Wang Min sentiu que toda a esperança estava perdida.
Só então, Wang Min clamou a Deus: “Ó Deus! Meu filho contraiu uma doença grave e eu não sei o que fazer para que ele melhore. Eu me sinto muito desanimada, fraca, indefesa. Ó Deus! Se meu filho não puder ser curado, não sei se poderei continuar. Por favor, dê-me fé e força.” Essas palavras de Deus então vieram à sua mente: “Você não deve ter medo disto e daquilo. 
Sejam quais forem as muitas dificuldades e perigos que você enfrentar, você deve permanecer firme diante de Mim… Eu sou sua rocha forte, confie em Mim!” “Deus Todo-Poderoso é um médico onipotente! Habitar a enfermidade é estar doente, mas habitar o espírito é estar bem. Se você tiver somente um sopro de vida, Deus não o deixará morrer.” As palavras de Deus aumentaram cem vezes a fé de Wang Min, seu coração acalmou-se e ela sentiu que tinha um apoio. 
Sim, de fato, ela pensou: Deus é meu apoio! Ele é todo-poderoso, o único e verdadeiro Deus. Ele é o médico todo-poderoso. Por que não estou confiando em Deus e olhando para Ele? Pensando nos primórdios, Lázaro já estava morto há quatro dias e seu corpo começava a apodrecer. Mas, com apenas uma palavra de Deus, ele saiu de seu túmulo – esse era o grande poder de Deus! Deus controla a vida e a morte do homem, assim como a vida de Linlin. Se Deus não permitir que Linlin morra, ele não morrerá enquanto ainda tiver um pouco de fôlego.
Pensando nisso, Wang Min foi até Linlin e segurou a mão do filho. Em uma voz suave, ela disse a ele: “A doença nos atingiu, mas não devemos entender mal e culpar a Deus. Para o bem ou para o mal, tudo está nas mãos de Deus. Você e eu cremos em Deus, por isso temos que confiar Nele e invocá-Lo com nossos corações.
” Ao ouvir isso, Linlin acenou com a cabeça com gentileza. Em seu coração, Wang Min implorou a Deus, pedindo-Lhe que protegesse o seu coração para que ela pudesse se submeter às Suas orquestrações e arranjos. Ela desejava confiar a vida e a morte do seu filho completamente a Deus. Naquele momento, seu coração já não se sentia tão triste.

Durante o desespero, Deus é nosso apoio firme

Depois que formalidades para a internação de Linlin no hospital acabaram, ele conseguiu uma cama e uma enfermeira colocou um acesso em sua veia. Ela disse a Wang Min: “Seu filho não deve comer ou beber nada por sete dias.” Depois que a enfermeira foi embora, o médico assistente veio e disse a Wang Min:
 “Eu consultei um especialista e seu filho corre grande perigo de perder a vida. Aqui mesmo neste hospital, perdemos diversas pessoas com a mesma doença do seu filho. Nós só podemos mantê-lo sob observação por uma noite e esperar por um milagre. Dependemos da sorte para ver se ele melhora ou não.”
Quando o médico terminou de falar, Wang Min sentiu-se muito fraca e bastante triste. Quando ela pensou na possibilidade de seu filho morrer a qualquer momento, as lágrimas caíram de seus olhos, e suas pernas pareciam tão vacilantes que ela não conseguia andar. Quando chegou à enfermaria para ver o filho, notou todo o corpo dele cheio de tubos e o rosto branco como leite. 
Ele parecia que estava em seu último suspiro e seus olhos estavam fechados. Wang Min sentiu a dor esfaquear seu coração, correu para o banheiro e começou a chorar. Nos seus ouvidos, ressoavam as palavras que o médico lhe dissera: “Perdemos diversas pessoas com a mesma doença que o seu filho.”
Quanto mais pensava sobre isso, com mais medo ela ficava, como se a morte estivesse se aproximando do filho. Mais uma vez, ela clamou a Deus em oração: “Ó Deus! Sinto-me muito impotente e com medo, e não vou aguentar o golpe de perder meu filho. Eu não sei mesmo como encarar tudo.
 Peço que proteja meu coração para que eu não abandone a Ti. Por favor, guie-me e dê-me fé.” Depois de orar, Wang Min pensou nas palavras de Deus: “Quem dentre toda a humanidade não é cuidado aos olhos do Todo-Poderoso? Quem não vive em meio à predestinação do Todo-Poderoso? O nascimento e a morte de quem vêm a partir de suas próprias escolhas? O homem controla o seu próprio destino?” “Sim! Todas as criaturas grandes e pequenas em todo o universo e a vida e a morte da humanidade estão nas mãos de Deus! 
Só Ele é o soberano todo-poderoso que controla a vida e a morte do homem. Deus deu a vida a meu filho, portanto, sua sobrevivência, e o poder de decidir entre a vida e a morte não está nas mãos dos médicos, muito menos nas minhas mãos, mas depende da predestinação, orquestração e dos arranjos de Deus. 
Pensando nos primórdios, Jó perdeu uma grande quantidade de ovelhas e gado, bem como todas as suas propriedades, riqueza, e os seus filhos. Mas Jó tinha noção de que tudo o que possuía fora concedido por Deus e sabia que deveria se submeter tanto quando Deus dá, quanto quando Ele tira. Jó venerava a Deus em seu coração e, quando enfrentou uma provação tão grande, não culpou a Deus nem O abandonou, mas o louvou do fundo do seu coração, dizendo: ‘Nu saí do ventre de minha mãe, e nu tornarei para lá. Jeovádeu, e Jeová tirou; bendito seja o nome de Jeová’ (Jó 1:21).
 Embora eu não possa de forma alguma ser comparada a Jó, diante do risco de morte que meu filho está correndo, quero imitar Jó e me submeter aos arranjos de Deus.” Quando Wang Min pensou dessa maneira, a dor em seu coração diminuiu muito.

Deus concede milagres aos que são fiéis

Wang Min ficou acordada toda aquela noite e não fechou os olhos uma só vez durante 24 horas, até cinco ou seis da manhã seguinte. Naquele momento, o médico entrou com alegria na enfermaria e disse a Wang Min: “O ritmo cardíaco do seu filho estabilizou e sua condição começou a melhorar! Não há necessidade de se preocupar mais. Para ser sincero, isso é realmente um milagre!
 Entre as pessoas que morreram neste hospital com a mesma doença que seu filho, nenhuma delas estava tão ruim quanto ele quando chegaram aqui, e nós as tratamos com o mesmo remédio que usamos seu filho, mas nenhum delas melhorou. Eu pensava que seu filho estava tão doente que não havia esperança de sua recuperação, porque, além de sua próstata, todos os seus outros órgãos foram afetados.
 Ele escapou mesmo da morte e deve ter muita sorte. Ele esteve no inferno e voltou, mas agora você pode ficar tranquila!” Wang Min ouviu o médico dizer isso e ficou tão feliz que as lágrimas encheram seus olhos. Ela não parou de agradecer a Deus em seu coração, pois sabia que tudo isso era proteção Dele. 
Assim como as palavras de Deus dizem: “Deus Todo-Poderoso é um médico onipotente!… Se você tiver somente um sopro de vida, Deus não o deixará morrer.” O fato de seu filho ter conseguido sobreviver devia-se inteiramente à graça de Deus!
O filho de Wang Min abriu os olhos e esticou os braços. Com uma mão, ele puxou a mãe para perto, com a outra, enxugou as lágrimas do rosto dela e disse com suavidade: “Mãe, graças à proteção de Deus, sinto-me muito melhor. Não se preocupe.” E ela disse ao filho: “Estou muito feliz. Você está se recuperando porque Deus te salvou. Vamos dar graças a Deus!” Ele assentiu.
No dia seguinte, uma paciente de trinta e poucos anos foi colocada em uma maca de frente para Linlin e, a partir do momento em que entrou na sala, ela não parou de chorar. Wang Min soube, depois, que a mulher estava na mesma condição que Linlin e viu que sua situação era muito menos severa do que a dele. Mas alguns dias depois, ela estava quase morrendo. 
Sua família implorou aos médicos, dizendo que pagariam qualquer custo, desde que sua nora pudesse ser salva. Contudo, ao final, mesmo transferindo-a para o hospital da província e gastar mais de 100 mil yuans, eles ainda não conseguiram salvar sua vida.
Wang Min pensou nessa paciente: ela contraíra a mesma doença que seu filho, recebera o mesmo remédio e sua família era rica. Mas nenhuma quantia de dinheiro poderia ter salvado a vida dela, enquanto que, com a proteção de Deus, o filho dela agora estava fora de perigo. 
Naquele momento, Wang Min apreciou profundamente o amor e o cuidado de Deus para com eles e, em seu coração, ela agradeceu a Deus em silêncio por Sua proteção.

O filho dela se recupera sob a orientação de Deus

O filho de Wang Min ficou no hospital por duas semanas e sua força retornou aos poucos. Ele também conseguia sair da cama para dar umas voltas e conseguia comer normalmente outra vez. Um sorriso enfim brilhou no rosto de Wang Min, quando ela viu seu filho recuperando a saúde aos poucos. 
Foi a graça de Deus que possibilitou que o filho de Wang Min escapasse da morte e se recuperasse com tanta rapidez! Depois de duas semanas, o médico disse a Wang Min que ela poderia levar seu filho para casa. O tempo naquele dia estava esplêndido e um sol vermelho ardia no céu. Wang Min e seu filho deixaram o hospital e pegaram o ônibus de volta para casa.
A caminho de casa, Wang Min apreciou profundamente que a vida e a morte de alguém não estão nas mãos dos médicos, e que a vida não pode ser salva por nenhum dinheiro ou afeição. Deus tem a palavra final sobre a vida e a morte, e só Ele é o apoio do homem! 
Pensando em todas as vezes em que o médico deu “uma sentença de morte a seu filho”, Wang Min viu que foram as palavras de Deus que lhe deram fé e coragem, possibilitaram que ela enfrentasse a doença do filho e fizeram com que seu coração fosse aliviado da dor. 
Destes eventos, Wang Min viu a autoridade e o poder do Criador, e acreditou com firmeza que, diante de qualquer situação, se a pessoa confiar em Deus e olhar para Ele, essa pessoa será capaz de dar testemunho dos feitos maravilhosos de Deus. Toda a glória seja dada para Deus.

0 Comments:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Quem sou eu

Minha foto
Diac. Marco Aurélio
Visualizar meu perfil completo



Direito

Direitos Autorais Você é livre para reproduzir os artigos desse blog em qualquer meio de comunicação, contudo, não deve infringir a lei de direitos autorais 9.610, sancionada em Fev. de 1998. As reproduções devem conter autores do artigo e endereço do blog. Os que são de Cristo cumprem.

Visitas vários países

VISITAS ONLINE GEOGIVITES
contador de visitas

FANPAGE - AnniaFotografia

Descrição da Imagem

Seguidores pelo Face

Annia Fotografia - Site

Descrição da Imagem

FANPAGE DESIGNER BRYAN

Descrição da Imagem

Siga-nos